quarta-feira, 1 de abril de 2015

Corredora aposta no pilates para melhorar desempenho.


“Minha qualidade de movimentos mudou tanto que as pessoas perguntam o que aconteceu”, conta maratonista que pratica corrida e outros esportes de resistência há 35 anos.

Vivian Feher Radomysler não nasceu para ficar parada. Quando criança começou os movimentos por meio do balé e em seguida partiu para a escola de esportes. Depois, jogou basquete e chegou a ensaiar uma profissionalização: “Competi muitos anos pelo clube Hebraica São Paulo”, lembra.

Com 18 anos, Vivian começou a correr – o que continua fazendo, mesmo após 35 anos. A qualidade de movimentos da corredora melhorou depois que descobriu o pilates. “Melhorou tanto para corrida como para pedal. Até mesmo a natação mudou completamente, tanto que as pessoas até perguntam o que aconteceu. Eu pratico esporte há muito tempo, mas o pilates mudou minha biomecânica de movimento”, conta bastante entusiasmada.

Quando iniciou na corrida, 35 anos atrás, Vivian diz que achou a modalidade extremamente interessante. “Era um esporte que trazia mais que bem-estar, exigia um desafio físico para manter o movimento numa intensidade alta”, conta. Aos 19 anos, fez o primeiro triátlon. “Naquela época, não tinha nem bicicleta. Gostei do desafio da complexidade do esporte”, conta.

Começou a se engajar cada vez mais na corrida. Fez quatro vezes a maratona de São Paulo, três vezes a de Chicago, duas vezes a de Orlando, duas vezes a de Porto Alegre, a de Blumenau, além de outras. “Fui fazendo, nem lembro mais. Mas o desafio era melhorar o tempo da maratona”. Na maratona da Disney, tirou o quarto lugar. De volta à cidade, na Maratona de São Paulo, também tirou o quarto lugar. “Não era um tempo profissional, mas era muito bacana e me estimulou muito”, afirma.

Para variar um pouco no esporte, voltou para o triátlon. Começou a crescer dentro do esporte, foi para campeonatos em São Paulo, fez ciclos de triátlon pelo País e acabou no campeonato brasileiro. “Tirei, se não me engano, quarto lugar naquela época. Naquele tempo, não tinha uma infraestrutura de primeira classe como hoje em dia. Eu cresci no esporte e o esporte também cresceu comigo”, diz.

terça-feira, 31 de março de 2015

Governo autoriza reajuste de 7,7% nos preços de remédios.


A partir desta terça-feira (31) o preço dos remédios pode subir em todo o país. A medida de reajuste foi autorizada pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamento (Cmed), fixando em até 7,7% a taxa máxima de ajuste para este ano.

A decisão, publicada no Diário Oficial da União nesta terça, prevê a elevação nos valores de mais de 9.000 medicamentos, divididos em três níveis.

A diferença maior no reajuste deve ser notada nos remédios do nível 1. Nesta classe são incluídos medicamentos como omeprazol (gastrite e úlcera); amoxicilina (antibiótico para infecções urinárias e respiratórias).

No nível 2, exemplos como a lidocaína (anestésico local) e nistatina (antifúngico) terão alteração no percentual de 6,35%. Já no nível 3, que registra o índice de 5%, o mais baixo, sofrerão elevação nos preços, remédios como ritalina (tratamento do déficit de atenção e hiperatividade) e stelara (psoríase).


A taxa de reajuste autorizada pelo governo considera três diferentes tipos de medicamentos, segundo a inclusão de genéricos. No caso dos mais genéricos, a mudança no preço chega a ser maior, por conta da alta concorrência.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Estratégias para melhorar seu condicionamento físico.

O estilo de vida adotado, atualmente, pela maioria das pessoas, está norteado no sedentarismo, aliado ao uso crescente da tecnologia, leva milhares de pessoas a inatividade. Com isso, o condicionamento físico da população está bem abaixo do esperado.

Os exercícios físicos e atividades físicas colocam o seu corpo em movimento. A melhora do condicionamento físico é obtida com programas de exercícios físicos, nesses programas devemos dar atenção aos exercícios aeróbios e musculares. Essa preocupação é primordial, já que perdemos força, decorrente a não utilização dos músculos com frequência quando estamos sedentários e prejudicamos nosso sistema cardiorrespiratório quando deixamos de nos movimentar. Isso causa o surgimento de doenças ao longo dos anos.

Recomendamos exercícios integrados, como circuito de exercícios, aeróbios e musculares para melhorar o condicionamento físico.

Existem muitos exercícios aeróbios que melhoram o seu condicionamento físico, exemplos: caminhadas, trotes, treinos de mudanças de velocidades entre trotes e caminhada, pedalar, nadar, correr, patinar. Exemplos de exercícios musculares para melhorar o seu condicionamento físico: musculação, exercícios funcionais, ginástica localizada. Os treinos integrados, onde trabalham exercícios aeróbios e musculares são muito interessantes, já desenvolvem as duas capacidades físicas, muscular e aeróbia, alguns exemplos são os treinos com Kettlebell, equipamento muito eficiente para melhorar o condicionamento físico, treinos de Crossfit, treinamento funcional.

domingo, 29 de março de 2015

Como ser mais criativo nos negócios.

Em 1920, nos Estados Unidos, um funcionário da Johnson & Johnson, Earle Dickson, teve uma ideia simples e brilhante. Ao chegar em casa e ver sua esposa com pequenos cortes nos dedos causados pelos afazeres domésticos, e perceber a dificuldade que tinha para preparar o curativo com gaze e fita, ele resolveu unir esses dois produtos - na época fabricados pela empresa em que trabalhava -  num único. Ele levou a ideia aos seus chefes, que investiram nisso e criaram um produto revolucionário para a época: o Band-Aid. Apesar de ter demorado um pouco para agradar o público, o Band-Aid acabou fazendo muito sucesso e Dickinson foi promovido a vice-presidente, cargo que ocupou até a sua aposentadoria.

Essa história demonstra bem a importância da criatividade nos negócios. O Band-Aid, hoje sinônimo para bandagem adesivada e uma parte importante da história da corporação, surgiu da cabeça de um funcionário e da percepção de seus superiores de que a criatividade tem de ser incentivada e recompensada. Fábio Zugman, especialista em criatividade empresarial e autor de seis livros voltados a administração de negócios, explica que as empresas têm que criar mecanismos para que seus colaboradores possam dar ideias novas. “Criatividade não fica contida na cabeça de uma única pessoa, isolada de todo o resto da empresa. Por isso é importante ter ferramentas e ambientes que estimulem a troca de ideias entre todos os funcionários”.

Para o especialista, caixa de sugestões e reuniões periódicas são alguns exemplos de ações que podem estimular uma maior participação dos colaboradores e estimular a criatividade no ambiente empresarial. “Porém, é necessário criar um canal de interação no qual as pessoas sintam que suas ideias são levadas a sério já que muitas vezes a inovação sugerida, por medo e desconfiança sobre o novo, é ignorada ou até mesmo penalizada”. Um recente estudo sobre transformações em negócios realizado pela Forbes, em parceria com Mediadata, indicou que metade dos executivos entrevistados não se adaptam bem a mudanças.

Outra dica para ser mais criativo é buscar referências em outros setores: um filme, viagem e até uma ida ao dentista podem ser fonte de inspiração. “Elementos que vemos de diferente e bacana em setores e negócios fora da área em que atuamos podem ser incorporados em nossos negócios”, explica Zugman.

Abaixo seguem as dicas para ser mais criativo nos negócios:

- A criatividade não acontece dentro de uma sala olhando, isolado, para parede, mas sim com a participação de todos da empresa;

- Crie um ambiente de trabalho que estimule a troca de ideias entre funcionários;

- Não tenha medo de mudanças e de tentar novas ideias;

- Investir em ideias novas é uma estratégia de tentativa e erro, portanto foque mais em processos, e como fazer para tirar ideias do papel, do que no resultado em si;

- Busque referências e ideias em setores fora da sua área de atuação;

- Busque sempre outras opiniões sobre sua ideia.

Por Rodrigo Boro , especial para o iG São Paulo.

sábado, 28 de março de 2015

"É traição fingir que estou com outro homem no sexo com meu marido?"

"Nos últimos meses, só tenho sentido prazer no sexo com meu marido quando finjo que estou com outro homem. Imagino que estou transando com algum ator famoso e até com amigos do meu esposo. Acho que ele nunca percebeu. Eu o amo e sou carinhosa. Nós dois temos 32 anos e estamos casados há 13 anos. Ele é careta no sexo, faz tudo sempre da mesma maneira. Me sinto culpada por ter essas fantasias. Será que estou traindo ele?"

Um estudo realizado pela Universidade da Pensilvânia, com mais de três mil mulheres casadas, dos Estados Unidos, revelou que após o casamento a relação que a mulher estabelece com o sexo muda e faz com que ela tenha mais fantasias sexuais com outros homens, a imaginação pode ficar mais picante. A explicação: as mulheres estão dissociando amor de sexo, deixando-as mais livres para expressar seus sentimentos e emoções, depois de anos de repressão.

Contudo, valores morais e crenças religiosas construídas em torno da sexualidade feminina, ainda fazem com que muitas se sintam culpadas só de pensar em fantasiar, quando estão envolvidas com alguém. Isso acontece porque as relações monogâmicas admitem a existência de apenas um parceiro sexual. O sentimento de culpa aumenta quando a fantasia não é compartilhada com o parceiro, enfatizando que está fazendo algo errado.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Vida sedentária aumenta o risco de artrite e artrose.

Dores constantes e dificuldade para realizar simples atividades do dia-a-dia. Muito comentadas e pouco conhecidas, a artrite e a artrose são doenças que atingem as articulações, provocando forte incômodo na hora da locomoção, além de dores intensas diante de qualquer movimento.

A diferença entre artrite e artrose é que:

Artrite é a inflamação nos tecidos que formam a articulação e Artrose é a degeneração da articulação.

É muito comum observar que a artrite mal tratada evolui para artrose e que a artrose crônica pode tornar-se aguda e originar um novo quadro de artrite.

Todas as articulações do corpo podem sofrer com artrite e/ou artrose, mas as mais afetadas são aquelas que são mais utilizadas durante o trabalho, como ocorre, por exemplo, no motorista de ônibus que após alguns anos de trabalho é diagnosticado com artrite e/ou artrose nos ombros.

Sintomas de artrite:

Dor na articulação que piora com o movimento e melhora com o repouso da articulação;
Sinais de inchaço articular;
Aumento ligeiro da temperatura da articulação;
A pele da região da articulação pode ficar ligeiramente rosada;
Pode haver rigidez articular: dificuldade em movimentar a articulação.

Sintomas de artrose:

Dor na articulação que piora com o movimento e melhora com o repouso da articulação;
Deformidade da articulação;
Dificuldade em realizar movimentos com a articulação devido à dor e a rigidez.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Petição tenta barrar resolução sobre uso de banheiros por trans e travestis.



Uma resolução publicada no último dia 12 no Diário Oficial da União tem causado repercussão nas redes sociais. A Resolução 12 do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, da Secretaria de Direitos Humanos, determina que a identidade deve ser reconhecida nas escolas, respeitando o uso de banheiros e vestiários de acordo com a identidade de gênero de cada um.

O advogado Dimitri Sales explica que a resolução não tem força de lei. "O problema é que o governo federal não assume sua responsabilidade. O governo precisa assumir o compromisso pelos direitos de travestis e transexuais", diz. Segundo ele, o Congresso Nacional teria de aprovar uma legislação que reconhecesse a identidade de gênero como direito fundamental para que mudanças efetivas fossem possíveis. O projeto de lei João Nery, de identidade de gênero, ainda não foi aprovado.

Repercussão

Mesmo não sendo lei, a resolução foi suficiente para levantar uma série de reações contrárias. A deputada distrital (cargo ocupado por representantes populares no Distrito Federal) Sandra Faraj publicou uma nota de crítica em seu site particular e iniciou uma petição para que a resolução seja cancelada.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Nova tecnologia genética permite escolher embrião livre de doença.

Os 11 milhões de brasileiros com problemas de infertilidade e as mulheres que estão adiando cada vez mais a maternidade (entre os 30 e 34 anos, segundo dados do IBGE), muitas vezes encontram o amparo necessário para a realização de seus sonhos nos avanços da ciência e da medicina.

Depois da seleção de embriões para a gestação de um bebê saudável, a mais recente novidade na área da genética reprodutiva é o sequenciamento de nova geração (Next Generation Sequency – NGS). Desenvolvida há pouco mais de um ano, a técnica é fruto da corrida mundial pelo sequenciamento do genoma humano para que se pudesse chegar a uma tecnologia mais precisa, rápida e barata.

O NGS é uma tecnologia que estuda o genoma em larga escala: lê grandes fragmentos de DNA, selecionados e analisados por painéis genéticos (de câncer ou endocrinológico, por exemplo) que darão as respostas sobre grupos de doenças ou condições genéticas, conforme explica o geneticista Ciro Martinhago, no 1° Workshop Internacional de Genética Reprodutiva.

Segundo Martinhago, a grande diferença do NGS para os métodos usuais é tornar possível ler centenas de genes e identificar inúmeras doenças, ou modificações genéticas, em apenas 27 horas. “Há um ano, oferecia-se o sequenciamento de um gene por R$ 4.500, e o resultado era dado em 45 dias. Com o NGS é possível sequenciar 328 genes por um custo mais baixo e usando painéis que analisam 800 doenças”, explica o geneticista.

terça-feira, 24 de março de 2015

O relacionamento caiu na rotina?

Dê uma rasteira na rotina e saiba como retomar os dias de paixão em relacionamentos que perderam o encanto.

Um dos maiores obstáculos enfrentados nos relacionamentos amorosos é aquele que marca o fim do período de lua de mel e a perda do encanto. É neste momento de "fim de magia" que o ímpeto sexual perde a intensidade e tudo parece menos emocionante. O problema central nesta hora é confundir a perda do entusiasmo com o fim do amor.

Segundo o psiquiatra Flávio Gikovate, este estágio é comum e até necessário em um relacionamento porque a realidade é que não tem como viver todos os dias amando profundamente, ou seja, a rotina é cruel e atinge a todos. Entretanto, existem formas de manter a chama acesa e viver dias agradáveis com a parceira na maior parte do tempo. Veja o que terapeutas especializados em crises de casal recomendam:

Permita-se sentir saudade

Muitos são os sintomas de um namoro tedioso, e o mais recorrente é a frequência com que o casal se encontra. Ficar longe às vezes pode ajudar o casal a perceber o quanto é bom quando está junto. Afinal de contas, você não pode perder o outro se você nunca está distante. Ninguém vai morrer por ficar uma semana ou duas sem se ver. Contudo, muito cuidado com a forma que esse assunto será abordado. Dizer que precisa de “tempo para você” pode parecer que o término é o que se deseja.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Estudo mostra eficácia de vacina contra tipo resistente de bactéria da pneumonia.

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (19) no periódico New England Journal of Medicine mostrou bons resultados para uma vacina contra pneumonias pneumocócicas.

Das 85 mil pessoas que participaram do estudo, a vacina contra 13 sorotipos de pneumococos mostrou 45% de eficácia ao prevenir a pneumonia não invasiva – quando o pneumococo atinge só os pulmões e não cai na corrente sanguínea. Além disso, a vacina foi capaz de evitar 75% de casos de pneumonia invasiva, um quadro ainda mais grave, quando as bactérias passam a circular no sangue.

Aprovada em 2013 pela Anvisa e ainda disponível apenas na rede privada, a vacina contra 13 sorotipos de pneumococos é indicada para adultos acima de 50 anos e crianças de seis meses até seis anos. A Pfizer, empresa fabricante, já solicitou ao órgão regulador a liberação para crianças e adolescentes entre seis e 17 anos.

Os idosos são considerados uma população-chave para a vacinação por causa do envelhecimento do organismo. Quanto mais idade, mais dificuldade o sistema imunológico tem para se defender de agentes invasores causadores de doenças. É o que se chama de imunossenescência. Quando a deficiência na imunidade se junta com as estações secas do ano, há um cenário ainda mais preocupante, dizem os médicos.

domingo, 22 de março de 2015

Mamografia: dicas para sentir menos dor na mamografia.

É quase um consenso, a mamografia dói, é o que quase todas as mulheres dizem, mas há várias dicas para sentir menos dor na mamografia. Mas sabia que há mulheres que não sentem dor na mamografia. Eu posso falar isso com extrema convicção, já que "eu não sinto dor na mamografia".

Isso foi absoluta verdade até a última vez em que fiz o exame de mamografia. Senti muita dor, muita mesmo. Fiquei 2 dias com muita dor. Quase não conseguia mexer os braços e fiquei à base de analgésicos e deitada. Um horror. Mas isso NÃO é motivo para você se assustar e correr ainda mais do exame.

E como o que senti foi completamente contraditório ao que sempre dizia a todos "Não sinto dor na mamografia", resolvi que era a hora de escrever um post sobre o assunto, para ajudar a várias mulheres que têm medo de sentir dores na mamografia. Como farmacêutica-bioquímica, elaborei algumas dicas para sentir menos dor na mamografia ou não sentir nenhuma dor.

Criei a listinha abaixo ao ficar pensando muito e muito sobre o porquê de eu ter sentido tanta dor, já que nunca havia doído e falo isso porque faço mamografia anualmente por causa de vários casos de câncer de mama em minha família. Vamos às dicas?

 Dicas para sentir menos dor na mamografia

Não faça o exame durante o período menstrual: que engloba a TPM (cerca de 7 dias antes da menstruação), durante o sangramento e até 5 dias após a menstruação. Algumas mulheres também ficam com as mamas sensíveis durante a ovulação.

Apalpe as mamas no dia anterior e também no dia em que a mamografia estiver marcada. Se sentir dor, ligue para o laboratório para desmarcar a mamografia [não deixe de ligar, já que outra mulher poderá realizar o exame em seu lugar].

Tome bastante água no dia anterior à mamografia e consuma menos sal e alimentos com sódio. Tudo isso porque a água retida no organismo poderá as mamas mais sensíveis à dor.

Beba chá diurético (apenas 1 xícara) e coma alimentos diuréticos no dia anterior ao exame e até 4 horas antes da realização da mamografia. Pepino, salsão (aipo) e agrião são alguns exemplos de alimentos diuréticos.

Se tiver cistos ou calcificação nas mamas, avise a pessoa que for realizar seu exame, pode ser que ela aperte menos e/ou posicione melhor as suas mamas no aparelho de mamografia.

Faça mamografia digital. Os aparelhos com a tecnologia para fazer a mamografia digital comprimem menos as mamas, o que causará naturalmente, menos dor, incômodo e desconforto nos seios.

Durante 1 mês antes de fazer a mamografia procure consumir alimentos com ácidos graxos "gordura" do bem, como o ácido linoleico e o gamalinoleico. Eles estão presentes em alimentos como castanha do pará, salmão, sardinha, e azeite extra virgem. Eles ajudarão a reduzir o efeito dos hormônios dos seios.

Tome um analgésico ou anti-inflamatório 2 horas antes de fazer o exame. Mas atenção: use SOMENTE o analgésico ou anti-inflamatório que você toma ou já tomou.

Faça massagens suaves (com ajuda de um creme) para ajudar a desinchar e eliminar o excesso de líquido que puder estar acumulado nas células do tecido dos seios.

Se for possível, coloque gelo ou algo gelado no seio, por alguns minutinhos antes de fazer o exame. E se após o exame ainda ficar um pouco dolorido, pode colocar mais um pouco de gelo.

Espero que estas dicas de como evitar a dor na mamografia (ou amenizar a dor) ajudem a todas as mulheres que sentem dor na mamografia, mas que são corajosas o suficiente (e amam viver suficientemente) para não fugir da mamografia... Que anda salvando MUITAS VIDAS, e pode salvar a sua também.
 Por Renata Fraia - farmacêutica e autora deste blog.

sábado, 21 de março de 2015

Como aumentar as vendas da sua empresa.

Todo negócio para crescer precisa de duas coisas básicas: atrair e fidelizar o consumidor. Porém, neste momento de crise e incertezas econômicas que vive o País, levantar capital para investir nestas duas estratégias pode ser complicado e comprometer o planejamento. A alternativa é o empreendedor usar a criatividade para aumentar as vendas do negócio.

Para Luciano Picerni Neto, sócio diretor da Holos Media, investir em marketing online é uma boa opção. “Diferente de um anúncio em jornal ou revista, que tem o preço fixo de tabela por inserção, o marketing online muitas vezes não exige um valor mínimo de investimento. Além disso, o empresário também pode ajustar a estratégia de acordo com os resultados obtidos durante a veiculação da campanha, já que a internet permite mensuração efetiva e ajustes em tempo real”. Picerni explica que outra vantagem é a segmentação que pode ser feita no ambiente virtual: “é possível determinar perfil demográfico, incluindo até a geolocalização do público-alvo através de coordenadas GPS”.

Outra alternativa para atrair novos clientes é o de fazer parcerias com empresas que possuem sinergia de negócios. Roberto Kamper, professor de MBA da Fundação Getúlio Vargas (FGV) na área de estratégia e varejo, usa como exemplo uma padaria e um açougue de uma mesma região: “O pão da padaria pode ser vendido no açougue, que por sua vez pode fazer uma degustação de carne na padaria. Assim, o cliente de um pode virar o do outro, e vice-versa”.

Como descobrir se foi só uma falha ou um problema sério.


Quem nunca brochou que atire a primeira pedra. A situação que o homem mais teme na cama é mais comum do que se imagina. Somente entre os brasileiros, a estimativa é de que cerca de 50% dos homens convivam com algum nível de disfunção erétil. Mas não é pra tanto, pois a famosa ‘brochada’ não significa necessariamente que você tem algum problema.

Antes de se desesperar por não ter conseguido transar com sua parceira e sair correndo para o hospital, é importante lembrar que a dificuldade de obter ou manter uma ereção na hora do ato sexual tem diversas causas, e você mesmo pode tentar identificá-las. Estas causas são dividas em dois grupos: as orgânicas e as psicológicas.

Entre as causas orgânicas, estão as doenças que dificultam o bombeamento do sangue arterial para o pênis, como doenças vasculares, distúrbios hormonais e neurológicos. “Também pode ser decorrente de alterações penianas e, em algumas situações, pode ser efeito colateral de certas medicações, como anti-hipertensivos e drogas neurológicas”, conta o urologista do HCor (Hospital do Coração), Dr. Antonio Lopes Neto.

Já as causas psicológicas, que são as mais comuns, estão invariavelmente ligadas ao estresse emocional pelo qual o homem está passando no momento do ato sexual ou mesmo na sua vida como um todo. Ou seja, pode ser a timidez excessiva, a insegurança em relação ao próprio corpo, estresse no ambiente de trabalho, alguma dificuldade amorosa com a parceira, etc..

sexta-feira, 20 de março de 2015

Nove sinais que indicam baixa testosterona em homens.

O efeito dos hormônios na personalidade das mulheres é bem conhecido, principalmente na fase da TPM. Mas, e os homens? Eles também são afetados pela produção hormonal? Sim, a testosterona, principal hormônio presente no organismo masculino, influencia o comportamento, o desempenho sexual e também algumas características físicas. A endocrinologista Ruth Clapauch, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia, explica que os níveis de testosterona no sangue do homem caem naturalmente com o passar da idade, aproximadamente 1% ao ano a partir dos 40. "Dessa forma, é importante incluir a dosagem de testosterona em seus exames de rotina a partir dessa idade, pois uma baixa dosagem nesse período pode ser um sinal de alerta para problemas com a deficiência desse hormônio no futuro", diz. No geral, os níveis adequados de testosterona variam entre 300 a 900 nanogramas por decilitro de sangue.

Entretanto, alguns homens podem sofrer com taxas reduzidas desse hormônio mais cedo do que o esperado, causando uma série de alterações e sintomas pelo corpo todo, sendo necessária a reposição hormonal. "Obesidade e doenças crônicas, como bronquite e problemas cardíacos, são fatores que podem acarretar na alteração do hormônio", explica a endocrinologista. Entenda como a deficiência de testosterona pode afetar seu organismo e, na dúvida, converse com seu médico:

Baixo interesse sexual

Esse é o sintoma mais específico para desconfiar de baixos níveis de testosterona no organismo. "Inclusive, pode ser possível perceber uma perda da potência sexual, ou mesmo uma disfunção erétil", explica a endocrinologista Ruth Clapauch, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia. Um sinal mais claro para a deficiência desse hormônio pode ser a falta de ereções matinais - aquelas ereções "involuntárias", que se tem ao acordar. O endocrinologista Pedro Saddi, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que homens com essa característica também têm maiores chances de sofrer com infertilidade. Entretanto, os baixos níveis de testosterona por si só raramente são a única razão para ereções mais fracas - outros problemas como doenças cardíacas e diabetes, também podem estar associados. 

quinta-feira, 19 de março de 2015

Pão integral industrializado é pior do que pão branco”, defende médico.

Em uma afirmação que foge de todas as outras que se ouve hoje em dia, o clínico geral autor de vários livros sobre enxaqueca, Alexandre Feldman, defende que o pão integral industrializado pode ser pior do que o pão branco. A razão principal, explica o médico, seria a presença dos chamados antinutrientes, que impedem a absorção dos nutrientes pelo corpo.

Erra quem pensa que esses antinutrientes vêm dos possíveis aditivos químicos presentes nos pães integrais industrializados. O problema está mesmo no próprio grão integral, como explica Feldman: “Antinutrientes são substâncias naturais presentes dentro das sementes, que impedem a germinação delas”.

No pão integral industrializado, segundo Feldman, esses antinutrientes não são neutralizados – processo que ocorre apenas na produção caseira – prejudicando a absorção das vitaminas, de minerais e proteínas pelo corpo.

Além disso, ele explica que dependendo do tipo de fibras, elas podem “arranhar” o intestino, deixando-o mais permeável, induzindo a absorção de moléculas maiores que o normal, que uma vez dentro da circulação sanguínea são reconhecidas como corpos estranhos, e gerando produção de anticorpos e um estado inflamatório no corpo.

Esse estado inflamatório debilita a saúde. Para minimizar o problema e neutralizar os antinutrientes, seria preciso deixar a fibra mais mole. No caso de grãos como o feijão, por exemplo, deixar de molho em água e soro de iogurte por 24 horas faz com que essas fibras se tornem mais palpáveis ao organismo.

quarta-feira, 18 de março de 2015

6 dicas para empreender em um ambiente de recessão.

Se analisarmos historicamente o ecossistema brasileiro de empreendedorismo em tecnologia, por exemplo, podemos concluir que passamos por dois grandes ciclos de startups e capital de risco. O primeiro aconteceu em 1999/2000 e foi um efeito colateral da primeira bolha de internet, enquanto o segundo está mais relacionado aos efeitos do afrouxamento monetário americano e do “super ciclo” de commodities chinês, com seu pico entre 2011 e 2013.

Agora o Brasil se tornou novamente pouco atrativo para investimentos externos e estamos de volta a um ambiente de não só pouco crescimento, mas de recessão, com inflação alta (estagflação) e com a classe de ativo de investimento de Venture Capital em tecnologia concorrendo com uma renda fixa de quase 12% ao ano.

Antes que você pare de ler esse artigo, aqui vai a verdade: esse cenário é o normal. Os espasmos de crescimento brasileiro são “voos de galinha”, mas isso não impediu gente realmente boa de criar empresas como a Ambev, o BTG Pactual a TOTVS e tantas outras.

Além de muito neurônio e capacidade de execução, o que esse pessoal teve foi uma leitura pragmática de qual era o cenário em que estavam inseridos e como hackear o sistema. Ou seja, entender a diferença entre a “realidade percebida” e a realidade, ganhando dinheiro independente da quantidade de “nãos” da burocracia, do custo Brasil ou do baixo crescimento.

terça-feira, 17 de março de 2015

Checar o celular antes de dormir faz mal à saúde, diz médico.

Dar uma conferida no smartphone antes de dormir já virou um hábito para muita gente. Porém, esse costume pode fazer mal à saúde.

Quem afirma é o médico Dan Siegel, professor de psiquiatria da Universidade da Califórnia. Em vídeo publicado pelo site Business Insider, ele explica que, ao entrar em contato com a luz emitida pela tela do celular, nosso cérebro entende que ainda não é a hora do sono.

"Isso diz para o seu cérebro; não libere melatonina, ainda não é hora de dormir", afirma Siegel no vídeo.

Liberada pela glândula pineal, a melatonina é um dos hormônios responsáveis pela regulação do sono. Um estudo publicado em 2010 pela universidade americana Northwestern já apontava essa relação entre a luz dos smartphones e a queda na produção de melatonina.

Tempo

Acordados por mais tempo, dormimos menos e sofremos as consequências negativas disso.

Segundo Siegel, o sono ajuda os neurônios a descansar e permite que o cérebro se limpe das toxinas liberadas pelos neurônios. Com menos tempo de sono, o órgão e suas células têm menos tempo para realizar essas funções.

"Se você não tem de 7 a 9 horas de sono, se você só dorme 5, as toxinas permanecem", explica o médico.

De acordo com Siegel, apenas 5% das pessoas conseguem viver bem dormindo pouco. O médico diz que esses indivíduos têm diferenças genéticas em relação à maioria das pessoas.

Efeitos

Entre os efeitos colaterais do sono curto estão a falta de atenção durante o dia, as dificuldades de memória e a menor capacidade de resolver problemas.

Além disso, dormir pouco afeta nosso metabolismo. "Você fica mais propenso a ganhar peso com o que come e a comer mais", afirma Siegel.


"Dê a si mesmo 1 hora, pelo menos, antes de ir para a cama e desligue seu celular", aconselha o médico. 

segunda-feira, 16 de março de 2015

5 hábitos que estão arruinando o seu treino.

É comum realizarmos coisas na vida simplesmente por elas fazerem parte de nossa rotina. Por exemplo: todo dia você levanta e vai escovar os dentes sem nem precisar pensar no que está fazendo. Mas no treinamento tem que ser diferente. É preciso colocar os costumes de lado e desenvolver uma estratégia inteligente e consciente.

Por isso, vamos citar alguns costumes que você deve abandonar para obter melhores resultados. Saiba o que você tem feito de errado nos treinamentos e como mudar os hábitos improdutivos.

1. Aquecer na esteira por mais de 5 minutos

O aquecimento na esteira serve apenas como forma de aquecimento geral e deve acontecer antes do primeiro exercício. Para esse fim, não adianta correr por 20 minutos na esteira, 5 minutos são suficientes.

2. Começar a malhação sempre com o mesmo peso

Quantas vezes você já não se percebeu colocando o mesmo peso na máquina semana após semana? Acontece que permanecer agindo assim é muito mais confortável — mas não produtivo. Por isso, não se prenda ao peso das máquinas. É normal que ocorram variações na carga utilizada, tanto para cima quanto para baixo. Mas você deve sempre tentar se superar.

3. Mesmos exercícios, mesma ordem

Com certeza você conhece alguém que faz supino reto, inclinado e declinado, não importando se faça chuva ou faça sol. Mas, da mesma forma que acontece com as cargas, seu corpo também se adapta a uma determinada demanda. Um modo de evitar isso é modificando os exercícios ou até mesmo a ordem deles. Trocar um exercício na máquina para peso livre, barra para halteres, pegada supinada para pronada, ou qualquer outra pequena mudança pode fazer a diferença nos seus resultados.

4. Exercício para um propósito “x”

Já ouviu falar que rosca scoot trabalha o pico do bíceps? E que glúteo  “quatro apoios” deixa o bumbum redondo? Pois é, isso não acontece, pois não existe movimento que molde a musculatura. O que o exercício faz é aumentar o tamanho do músculo, mas o formato e a inserção dos exercícios não podem ser modificados.

5. Alongar antes de treinar

Ao contrário da crença popular de que o alongamento pré-treino ajuda a preparar a musculatura e prevenir lesões, o que ocorre é que essa atividade afasta as pontes cruzadas da actina e miosina, fazendo com que você desempenhe menos potência durante o treinamento. Ou seja, vai levantar menos carga.


Apesar de simples, essas pequenas dicas podem fazer uma grande diferença no seu treinamento. Então comece hoje mesmo a potencializar os seus resultados.

domingo, 15 de março de 2015

Alimentos que parecem saudáveis, mas não são.


BARRINHA DE CEREAL

Algumas barrinhas de cereal, de fato, são ricas em fibras e não contém açúcar ou gorduras saturadas, sendo assim uma boa opção para uma beliscada entre as refeições. O problema é que tantas outras trazem escondidas ameaças como conservantes, estabilizantes e gomas, além de grandes quantidades de gordura e açúcar. A presença das fibras, uma das supostas vantagens das barras, também não é garantida. Algumas marcas não contém sequer um grama de fibra em sua composição. Para fugir dessas armadilhas, é preciso ficar atento às informações nutricionais que constam nas embalagens, que informam as quantidades de açúcar, gordura e fibras presentes em cada produto.

PEITO DE PERU

Por conter uma grande quantidade de sódio em sua composição, o peito de peru pode não ser uma boa opção para ser consumida com frequência. Em algumas marcas o nível pode superar 1.000mg a cada quatro fatias, ou seja, mais de 1g de sal. A OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda o consumo de 5g/dia de sal. Os embutidos, como são chamados esta categoria de alimentos, levam em sua composição um aditivo chamado Nitrato, que no estômago pode se converter em nitritos. Esses por sua vez se transformam em nitrosaminas, que são os são agentes carcinogênicos, substância que pode causar o câncer. Outro ponto a ser levado em consideração, é que o elevado consumo de sódio pode causar hipertensão arterial, favorecendo o risco de AVC (acidente vascular cerebral). Além disso, em dietas de perda de peso, o excesso de sal promove retenção hídrica, inchaço e perda da definição muscular.

sábado, 14 de março de 2015

Hipoglicemia. O que é isso?

  
Vamos a seguinte situação:

Você, longe de sua cidade, da sua casa e aproveitando dias de descanso em um paraíso qualquer.

História comum se não fosse um fato: Eu e a Bete.

Mas amigo qual o problema até então? Vamos seguindo a nossa história.

Aproveitando um belo dia de lazer ao ar livre, tomando todos os cuidados como hidratação e realização de refeições a cada 3 horas. Além disso, como responsável que você é, continua seu tratamento aplicando as insulinas e correção se necessárias nos seus devidos horários.

E mesmo com todos estes cuidados e com toda esta situação assim apresentada você não alertou ninguém neste belo lugar que tem a Bete e que poderia mesmo fazendo todas as ações naturais e responsáveis ter um episódio de Hipoglicemia.

E acontece com você o inesperado, fica desacordado, as pessoas ao redor desconhecem os sintomas e o que poderia ser naquele momento em que você está apresentando um episódio de hipoglicemia.

É feito de tudo, menos os primeiros cuidados para um socorro breve e que pode salvar uma vida, a sua vida.

Portanto, o que irei compartilhar serve de alerta e de orientação para quem tem a Bete, para quem não tem e gostaria de entender melhor sobre o que fazer, como proceder e identificar os sintomas.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Oito tratamentos complementares que ajudam a combater a insônia.

A insônia é um problema nacional: 69% dos brasileiros avaliam o seu próprio sono como ruim ou insatisfatório, segundo um estudo feito pelo Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (IPOM) e divulgado dia 22 janeiro. Os remédios mais consumidos no país de 2007 a 2010, segundo a Anvisa, eram contra ansiedade e insônia.

A falta de um sono tranquilo por vários dias deve ser tratada por um médico e pode precisar tanto de medicamentos quanto de mudanças de hábitos. Mas, para acelerar os resultados, é possível aliar ao tratamento algumas técnicas. A insônia é vista como um problema que esconde outras doenças e complicações, como depressão e estresse. É possível combater sintomas dessas doenças e garantir um corpo mais relaxado para cair no sono profundo. Confira algumas técnicas e descubra como elas agem no seu corpo.

Reflexologia

Essa técnica parte do princípio de que os pés possuem diversos pontos que se relacionam com regiões do corpo humano. Por meio de uma massagem específica nessa parte do corpo, é possível estimular o bom funcionamento de órgãos, glândulas e outras estruturas do corpo.

"Conforme os pontos vão se libertando das toxinas, acontece um processo de limpeza e redução da tensão nas áreas do corpo, reativando a sensação de bem-estar e relaxamento", explica a massoterapeuta Thabata Martins, do Zahra Spa & Estética. Se a causa da insônia estiver relacionada a dores no corpo, ansiedade, estresse, dor de cabeça e outros problemas físicos ou emocionais, a reflexologia poderá ser uma grande aliada do tratamento. O número de sessões necessárias varia de acordo com a gravidade do problema.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Reconheça os estágios da ingestão de álcool no seu corpo e proteja sua saúde.


Um, dois ou três copos? Quanto tempo demora para você sentir os efeitos da bebedeira no corpo? Mesmo que a quantidade de bebida necessária para a embriaguez varie de pessoa para pessoa, os perigos do consumo de álcool são iguais para todos. O psiquiatra Arthur Guerra, professor da Faculdade de Medicina do ABC, explica que os danos fisiológicos causados por uma intoxicação aguda pelo álcool são reversíveis, mas a lentidão e a perda de consciência podem causar graves acidentes, esses sim com complicações permanentes. "Existem três principais riscos decorrentes do consumo excessivo de álcool: a perda dos reflexos, favorecendo acidentes; a aspiração do vômito, que acontece durante o período de inconsciência; e o quadro de depressão respiratória, ou seja, a diminuição ou cessação da respiração".

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 58% da população adulta abstiveram-se do consumo de bebidas alcoólicas nos últimos 12 meses. Que tal aumentar ainda mais esses números? O primeiro passo é entender que até mesmo um dia de porre afeta o funcionamento do seu organismo. Os especialistas nos contaram como isso acontece. Confira a seguir.

Estágio 1: enquanto você ainda está sóbrio

A psicobióloga Maria Lúcia Formigoni, chefe do departamento de Psicobiologia da Unifesp, explica que as moléculas de álcool são pequenas e solúveis. Isso significa que elas chegam muito rapidamente a todos os nossos tecidos, principalmente ao fígado, órgão responsável por 90% da metabolização do álcool, que é então transformado em acetaldeído. Essa substância é a responsável pelos efeitos danosos associados ao consumo de álcool. E, mesmo enquanto você está sóbrio, ela já está se acumulando no seu organismo e deteriorando sua saúde. "Os sintomas da ressaca, como as dores de cabeça, a pressão arterial elevada e a taquicardia, são causados pelo excesso dessa substância no organismo", explica a especialista.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Psiquiatras afirmam que a busca pela alimentação saudável é uma doença mental.

Poderíamos todos nós realmente sermos doentes mentais?

Em uma tentativa de conter a corrida em massa para a mudança alimentar e reforma, a psiquiatria deu luz para um novo esforço nas relações públicas para espalhar a consciência sobre um novo transtorno "ortorexia nervosa", definida como "uma obsessão patológica para a nutrição biologicamente pura e saudável." Em outras palavras, os especialistas estão se movendo em direção dizendo que a nossa demanda de nutrientes e alimentação saudável é um transtorno mental que deve ser tratado.

CNN, Fast Company, Popular Science, e outros veículos de massa têm começado a alardear alguns pontos da discussão sugerido relativamente a pouco tempo:

"A ortorexia nervosa é um rótulo designado para aqueles que estão preocupados com a alimentação saudável. Caracterizada por transtornos alimentares alimentadas por um desejo de "limpas" ou alimentos "saudáveis", os pacientes diagnosticados com a doença são excessivamente preocupados com a composição nutricional do que comem".

Em suma, se você se inclina para uma baixa qualidade de alimentação corporativa contendo conhecidos cânceres causados por aditivos tóxicos e uma rica história de desonestidade enraizada em um contínuo modus operandi de "lucros sobre as pessoas", significa que você sofre de uma doença mental. A cereja no topo é que, se você tem o distúrbio marcado pela pseudociência da ortorexia nervosa, você vai ser prescrito com conhecidos medicamentos tóxicos de algumas das mesmas corporações de conglomerados que você está tentando evitar por uma alimentação saudável em primeiro lugar.

A ortorexia ainda não encontrou o seu caminho para a mais recente edição da bíblia psiquiátrica, o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), ainda é comumente sendo consideradas em conjunto com outros distúrbios alimentares. Recuando e olhando para aqueles que empurram este rótulo em nós mostra motivos altamente questionáveis.

Psiquiatria como um todo está profundamente na cama com uma indústria farmacêutica com as drogas para "tratar" cada um desses "transtornos". E muitas vezes essas empresas que estão exercendo uma influência nos bastidores para inventar categorias de saúde mais mentais com os seus produtos tóxicos como a resposta. Este impulso mais recente da mídia para popularizar a ortorexia como um transtorno mental, com o objetivo de marginalizar ou descarrilar a revolução da comida parece ter sido morto na chegada.

A comunidade psiquiátrica também considera a criatividade uma forma de doença mental.

À medida que as pessoas continuam a se afastar dos sistemas médicos e agrícolas / alimentação errada, como qualquer relacionamento abusivo, os fabricantes de alimentos estão dispostos a fazer qualquer coisa para manter seu controle e diminuir. Mercados de alimentos orgânicos e não-GMO explodiram nos últimos cinco anos, tanto que qualquer empresa que deseje não seguir a tendência corre o risco de dificuldades financeiras ou ruína.


Talvez algumas pessoas fazem isso ir longe demais ao ponto de automutilação, mas o problema que enfrentamos com um sistema alimentar tóxico é uma ameaça muito maior. 

terça-feira, 10 de março de 2015

Por que não temer a "friendzone" e como agir ao gostar de uma grande amiga.

Zona da amizade é tema recorrente entre os homens, de acordo com especialistas. Eles dão dicas de como deixar de ser apenas um amigo, mas não culpe a "friendzone" se não der certo: "Ela dizer 'vamos ser apenas amigos' é uma forma gentil e educada de falar que não está interessada em você".

Um estudo do Departamento de Psicologia da Norwegian University of Science and Technology (NTNU), na Noruega, concluiu o que muitos já suspeitavam: homens e mulheres confundem sinais de simples amizade com um flerte.

Os pesquisadores conversaram com 308 participantes (154 de cada sexo), com idades entre 18 e 30 anos. No último ano, elas afirmaram que seus amigos confundiram amizade com sexo pelo menos 3,5 vezes; homens disseram que passaram pela mesma situação, mas com uma menor frequência que elas.

Embora soe como roteiro de comédia romântica adolescente, o tema "friendzone", que nada mais é do que a amizade entre um homem e uma mulher, é assunto (e dúvida) recorrente entre eles.

segunda-feira, 9 de março de 2015

9 perguntas que os pais devem fazer todo dia para os filhos.

Disponibilidade de tempo tem se tornado algo cada vez mais raro no cotidiano das famílias modernas. Enquanto os pais trabalham, as crianças gastam a energia na escola - à noite, poucos têm disposição para conversar sobre os pontos altos do dia. Esse distanciamento e a falta do diálogo, porém, criam um afastamento emocional entre pais e filhos.

Os efeitos dessa postura têm um impacto ainda maior nos pequenos. Eles se sentem desprezados e poucos estimados pelos próprios pais, como não fizessem nada suficientemente interessante para chamar a atenção dos adultos. Em longo prazo, esses sentimentos acabam estimulando uma maior insegurança e a dificuldade para se relacionar com outras pessoas. A criança prefere ficar isolada a compartilhar qualquer informação com os pais.

Criar laços verdadeiramente afetivos com os filhos não é algo tão impossível assim, mesmo com a correria do dia a dia. Um pouco de empenho, atenção e disponibilidade são suficientes para fazer a diferença no cotidiano dos pequenos. Não é preciso transformar tudo em uma grande discussão do relacionamento; perguntinhas simples, sobre a escola e os amigos, por exemplo, dão conta do recado.

Você sabe conversar com seu filho?

“Sempre falo que o importante é a qualidade do diálogo entre pais e filhos. Mesmo que naquele dia só sejam alguns minutos, é mais interessante que eles sejam intensos e dedicados. Claro que quanto mais tempo conversamos com os filhos, melhor. Mas dá para separar alguns minutos e perguntar sobre o dia da criança, o que ela fez de legal e outras coisas importantes para ela. Sempre reforçando o amor incondicional da família”, aconselha Bibianna Teodori, coach e autora do livro “Coaching para pais e mães – Saiba como fazer a diferença no desenvolvimento de seus filhos” (Matrix).