sábado, 31 de janeiro de 2015

Estudo americano ensina pessoas a se apaixonarem; veja como é e faça o teste.



A paixão é algo que simplesmente acontece. Certo? Errado, de acordo com um psicólogo americano, Arthur Aron, professor da Universidade de Nova York. Ele garante que é possível aumentar suas chances de se apaixonar por qualquer pessoa através de algumas atitudes que nós mesmos podemos tomar. Funciona? Bom, o pesquisador assegura que fez testes com voluntários em um laboratório no ano de 1997 e um dos casais que se conheceu ali acabou se casando seis meses mais tarde. Será?

Caso você queira testar, daremos o roteiro. As recomendações é que seu alvo seja uma pessoa desconhecida e que você dedique pelo menos 45 minutos à missão. Boa sorte!

 A ideia de Arthur Aron é que as pessoas ganhem intimidade de forma gradual através das respostas de 36 perguntas, divididas em três blocos de 12. É importante que os dois participantes façam uma pergunta ao outro por vez, mas precisam responder a todas em voz alta. O primeiro terço é este:

Se pudesse escolher qualquer pessoa no mundo, quem convidaria para jantar?

Gostaria de ser famoso? De que forma?

Antes de fazer uma ligação telefônica, você ensaia o que vai falar? Por quê?

Como seria o seu dia perfeito?

Qual foi a última vez que cantou sozinho? E para outra pessoa?

Se pudesse viver até os 90 anos e ter o corpo ou a mente de alguém de 30 durante os últimos 60 anos de sua vida, qual dos dois escolheria?

Possui uma intuição secreta de como vai morrer?

Diga três coisas que acredita ter em comum com seu interlocutor.

Por quais aspectos de sua vida você se sente mais agradecido?

Se pudesse mudar algo em como foi educado, o que seria?

Use quatro minutos para contar a seu companheiro a história de sua vida com todos os detalhes possíveis.

Se amanhã pudesse se levantar desfrutando de uma habilidade ou qualidade nova, qual seria?

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Aprendendo a ser solteiro de novo: as queixas dos homens após o divórcio.

Solidão, amigos comprometidos, rotina esvaziada... Dois especialistas em relacionamento falam quais são as principais reclamações do homem e os conselhos que dão a eles.

Para cada quatro casamentos registrados no Brasil em 2013, um divórcio apareceu para acabar com o conto de fadas. Foram 1,05 milhão de uniões contra 254,2 mil casais separados para valer, de acordo com os números do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). E entre os divórcios cuja entrada na papelada não foi consensual, a maioria deles – 50,1 mil contra 36,9 mil – foi por iniciativa da mulher.

"Se não foi o homem quem pediu [o divórcio], ele vai ter que recuperar a autoestima, fica arrasado, ainda ama a ex, a rotina dele é completamente esvaziada", diz Ailton Amélio, mestre e doutor em Psicologia pela USP e autor de livros como "O mapa do amor" e "Para viver um grande amor". A transição de solteiro para casado é natural para muitos, mas o caminho contrário após anos comprometido pode ser desafiador para alguns.

"Eu diria que esse público é cerca de 30% a 40% dos nossos clientes. Outro perfil que também é comum é o do homem na faixa dos 35 que conseguiu o sucesso profissional, mas abriu mão de muitas coisas, inclusive da juventude, e agora não sabe como agir. Eles buscam ajuda e acabam achando a gente", revela Breno Carrera, coach de relacionamento do "Fórmula da Atração". Conversamos com Amélio e Carrera para saber quais são as principais queixas de quem acabou de virar solteiro e os conselhos que eles dão para dar a volta por cima.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

18 dicas para alugar casa no Carnaval sem cair em roubadas.

Alugar uma casa na praia, ou no interior, para curtir o Carnaval é uma das opções mais baratas para quem quer viajar – principalmente em turma – nesse período. Mas alguns cuidados prévios são necessários para assegurar que, ao invés de cair na folia, vocês não caiam em uma grande rouba. Veja abaixo algumas dicas:

1- Não deixe para alugar na última hora. Você pode ficar apenas com os imóveis ‘micados’ e sem tempo para investigar a propriedade a fundo.

2- Busque informações sobre o imóvel na internet e tente conseguir referências de amigos e pessoas que conhecem a casa, a região e o locador.

3- Nicholas Spitzman, presidente do site AlugueTemporada, indica ainda sempre ler os comentários reunidos nos anúncios. O relato de outros viajantes sempre pode prevenir e ajudá-lo. E lembre-se de deixar suas impressões ao voltar.

4- Faça uma visita à propriedade para conferir de perto a localização, a vizinhança e o estado de conservação. Faça questão de entrar no imóvel.

5- Converse com pessoas que moram perto ou costumam frequentar a região para verificar se é segura e se não fica muito isolada.

6- Veja se há fácil acesso a mercados e farmácias.

7- Fique atento aos equipamentos e objetos que serão ou não deixados na casa, como roupa de cama, travesseiros, toalhas e utensílios de cozinha.

8- Revise a instalação elétrica: teste lâmpadas, interruptores, chuveiros e as principais tomadas dos ambientes.

9- Fique de olho em torneiras pingando e o bom funcionamento de chuveiros, vasos sanitários e na existência de caixa d’água.

10- Tenha certeza de que nada está entupido. Teste o escoamento de água na pia da cozinha e no lavatório do banheiro.

11- Verifique a presença de infiltrações, umidade nas paredes e manchas que indiquem a existência de goteiras quando chove.

12- Certifique-se de que todas as portas e janelas abrem e fecham facilmente.

13- Confira trincos, fechaduras e, no caso de haver portão elétrico, o bom funcionamento do controle.

14- Cheque a potência do sinal de telefonia celular na região e, se a casa tiver telefone, o funcionamento da linha.

15- Inspecione a limpeza e o estado de conservação de móveis e eletrodomésticos. Tenha certeza de que a cama não está quebrada, o colchão não tem mofo e a geladeira funciona.

16- Fique atento ao formato e à voltagem das tomadas. Caso não sejam compatíveis com os seus aparelhos, você já poderá incluir um adaptador e/ou transformador na mala.

17- 'Exija um contrato padrão, mesmo que a locação seja bem curta', indica o presidente do site AlugueTemporada, Nicholas Spitzman.

18- Por fim, leia atentamente todas as cláusulas do contrato e só assine se estiver plenamente de acordo. Lembre-se, o que vale é sempre o que está no papel.

Por iG São Paulo.

O que fazer quando o celular molha?

Há muitas situações em que você pode acabar molhando seu celular. Pode ser que o aparelho caia do seu bolso na privada, você se molhe em uma tempestade ou entre na piscina com ele.

Mas isso não é o fim do mundo (nem de suas fotos, arquivos, vídeos e agenda de contatos), ainda que especialistas considerem improvável que o celular volte a funcionar plenamente.

Vale dizer que é possível prevenir que o contato com água danifique o celular - por exemplo, colocando o aparelho em uma bolsa plástica ou passando nele um material conhecido como Liquipel, que torna o telefone resistente a água.

Mas, se você não tomou essas precauções, seguem algumas ideias sobre o que fazer quando o celular se molha:

Tire-o da água o mais rápido possível.

Especialistas recomendam aplicar essas dicas também aos tablets.

Esse é o primeiro impulso de qualquer dono de celular - e é preciso segui-lo.

Também é preciso secar o aparelho com o que estiver à mão: papel, toalha, camiseta ou pano.

Não religue o aparelho.

Esse é o segundo impulso mais comum nessa hora, mas é preciso ter cuidado. Se o celular desligou, o pior que se pode fazer é religá-lo, pois isso pode gerar um curto-circuito.

Quando o celular é molhado, não é o fim do mundo: há soluções.

Tire a bateria e o cartão SIM.

Para evitar que os circuitos elétricos do aparelho entrem em funcionamento é bom retirar sua bateria (e qualquer capa de proteção que esteja no celular).

Uma vez feito isso, seque seu interior com um guardanapo com muito cuidado.

Há celulares que não permitem que o usuário retire sua bateria, como alguns modelos da Nokia e o iPhone. Nesse caso, desligá-los é suficiente.

Também é recomendável tirar o cartão SIM e secá-lo.

Sem usar agressividade demais, é uma boa ideia tirar a água do aparelho batendo-o de leve contra uma superfície.

Também vale assoprar e puxar as gotas de água que se encontram em seu interior com um aspirador.

Feito isso, há algumas opções sobre o que fazer em seguida.

Coloque o aparelho no arroz.

É recomendado colocar o celular em um pote com arroz. Coloque o celular em um recipiente seco, que pode ser um pote de vidro ou de plástico e cubra o aparelho com arroz cru. Feche o pote e o coloque em um lugar seco, onde bata um pouco de sol. Depois de 24 horas, retire o celular do pote e tente ligá-lo. Essa técnica foi aprovada em muitos testes que podem ser conferidos na internet - e a lógica por trás dela é que o arroz absorve a umidade que ficou no aparelho.

Coloque-o sob o sol.

Se não tiver arroz à mão, outra opção é colocar o celular sob o sol, sobre um guardanapo. Não deixe o aparelho assim por muito tempo, porque isso pode gerar um superaquecimento e danificar a tela. Para evitar esse problema, use também um ventilador para ajudar a secá-lo.

Use outro produto que absorve umidade.

Alguns blogs recomendam usar outros produtos no lugar do arroz para absorver a umidade do aparelho. Entre eles, cuscuz, pacotes de gel de sílica e areia usada nas caixas de fezes para gatos (limpa, é claro).
Por BBC.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

5 exercícios para fortalecer as pernas e combater a celulite.

É difícil conhecer alguma mulher que não sofra de celulite, mas, apesar de ser um problema comum, aceitá-las parece impossível. O ódio é compreensível: a celulite deixa a perna cheia de pequenos furinhos e pode aparecer por diversos motivos, como distúrbios hormonais, flacidez, gordura localizada, retenção de líquido, má circulação e alimentação ruim. Para combater o problema é necessário investir em inúmeras fontes, mas duas delas são as mais eficazes: alimentação saudável e atividades físicas.

Uma dieta antioxidante ajuda a rejuvenescer a pele e a eliminar toxinas, espantando os furinhos indesejados; e beber bastante água, cerca de oito copos por dia, também ajuda na circulação do sangue. Mas, mesmo se alimentando bem, se você continuar sentada no sofá, a celulite não sumirá. Exercícios aeróbicos melhoram a circulação e tonificam a pele, mas fortalecer músculos específicos também é importante na hora de conter a formação de novas celulites. Por isso, separamos cinco exercícios de fortalecimento para as pernas, essenciais para definir e sumir de vez com o aspecto de casca de laranja na pele.

Os exercícios devem ser realizados em três séries, aumentando a carga a cada uma delas:

Agachamento: exercício que trabalha os músculos do quadríceps e glúteos, além de gerar força e equilíbrio. O agachamento trabalha, em média, 90% da musculatura glútea, e é um exercício completo para as pernas. A atividade pode ser feita no aparelho ou com peso livre.

Cadeira extensora: atividade voltada para o quadríceps. Durante o trabalho, contraia o abdômen e estenda os joelhos, mas cuidado para que essa região não fique em hiperextensão.

Mesa flexora: nessa atividade, os músculos posteriores da coxa são os mais ativados. Deitada de bruços flexione os joelhos e aproxime o apoio dos pés ao glúteo. O quadril deve permanecer parado durante todo o movimento.

Cadeira adutora: trabalha os músculos adutores da coxa. Sentada no aparelho, mantenha as pernas afastadas, fazendo força para aproximá-las de forma consecutiva.

Cadeira abdutora: exercício que exige do músculo glúteo. Sentada no aparelho, deixe o tronco apoiado no encosto e afaste as pernas, empurrado o apoio para fora. Atente-se sempre à postura corporal. 
(Fonte: Natalia Bruzone, professora de educação física da Smart Fit). 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Cientistas criam técnica para ‘descozinhar’ ovos.

IRVINE, Califórnia — Cozinhar um ovo é fácil, mas reverter o cozimento é tarefa para poucos. Pesquisadores da Universidade da Califórnia Irvine (UCI), em parceria com colegas australianos, desenvolveram uma técnica que transforma a clara cozida ao seu estado inicial. A descoberta não traz benefícios para a culinária, mas para a indústria farmacêutica e de alimentos. Segundo os autores do estudo, a inovação pode reduzir dramaticamente os custos para o tratamento do câncer e a produção de alimentos.

— Sim, nós inventamos uma forma de “descozinhar“ um ovo de galinha — disse Gregory Weiss, professor de Química e Biologia Molecular na UCI. — No nosso artigo, descrevemos um dispositivo para retirar as proteínas e permitir que elas se reajuntem. Começamos com claras cozidas por 20 minutos a 90 graus Celsius e retornamos uma proteína chave do ovo a condição de trabalho.

A técnica resolve um problema que aflige pesquisadores para a produção e reciclagem de valiosas proteínas moleculares, que possuem diversas aplicações, mas que frequentemente se desdobram em formatos incorretos quando são formados.

— O nosso interesse não é no processamento de ovos, é apenas para demonstrar quão poderoso o processo é — disse Weiss. — O problema real é que em muitos casos de proteínas de goma, que você investe muito tempo processando em tubos de teste e quer encontrar uma forma de recuperar o material.

Já existem métodos capazes de resolver a questão, mas eles são custosos e demorados. A diálise ao nível molecular leva quatro dias para ser feita, enquanto o novo processo é realizado em apenas três minutos.

Para recriar a proteína conhecida como lisozima, presente no ovo cozido, os pesquisadores adicionaram uma substância que liquefaz o material sólido. Depois disso, em nível molecular, pedaços de proteínas ainda estão agrupados em massas inutilizáveis. Processados em uma máquina de alta potência, esses pedaços são forçados a retornar ao formato adequado.

— O método pode transformar a produção industrial e científica de proteínas — disse o pesquisador.

Por exemplo, companhias farmacêuticas criam medicamentos contra o câncer em caras células do ovário de hamsters, que muitas vezes não se formam corretamente. A técnica vai permitir a recomposição de proteínas de leveduras e bactérias de forma rápida e barata, o que pode reduzir os custos dos tratamentos. Fabricantes de queijos e outros setores da indústria alimentar que recombinam proteínas também podem ser beneficiados.
Por o Globo.

Contra obesidade, EUA aprovam uso de 'marca-passo' para o estômago.

A FDA, agência responsável pelo controle de produtos de saúde e drogas nos Estados Unidos, aprovou a comercialização de um aparelho de combate à obesidade que tem funcionamento parecido ao de um marca-passo, mas para o estômago.

Chamado de Maestro Rechargeable System, o aparelho é implantado cirurgicamente sob a pele do abdômen, com anexos fixados onde o esôfago se encontra com o estômago. Dali, ele causa interferências no nervo que controla o coração e a função digestiva.

A ideia é fazer com que diminuam os impulsos de fome que a pessoa sente mesmo após ter recebido a quantidade de alimento necessária, fazendo com que o paciente perca peso. Mas nem a FDA tem certeza se a tecnologia de fato funciona.

No documento de aprovação, divulgado pela NBC, a agência ressalta conhecer a teoria por trás do aparelho, mas que os mecanismos específicos que levariam a perda de peso devido ao uso da tecnologia são desconhecidos.

Foi o primeiro produto de combate à obesidade aprovado pela FDA em sete anos, e nos EUA este é um problema de saúde bem sério. Em testes, o aparelho reduziu apenas 8,5% do excesso de peso em um ano se comparado a pessoas que faziam tratamento com placebo e a agência quer que cheguem a pelo menos 10%.

Por Redação Olhar Digital.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Ministério da Saúde alerta para diagnóstico precoce de hanseníase.

  

Como parte das ações que marcam o Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase, o Ministério da Saúde lançou, nesta quarta-feira 21, campanha publicitária para conscientização da população sobre a doença. Com o mote, “Hanseníase: quanto antes você descobrir, mais cedo vai se curar”, a ação tem como foco o diagnóstico precoce da doença e a divulgação do tratamento que é ofertado de graça no Sistema Único de Saúde (SUS). A doença é considerada endêmica em todo o país, com maior incidência em cinco estados: Pará, Maranhão, Tocantins, Mato Grosso e Pernambuco. Atualmente, são 1,42 casos por 10 mil habitantes, uma queda de 68% em dez anos, o que mostra o esforço de eliminar a doença do país.

A campanha será direcionada aos municípios de maior prevalência da hanseníase localizados, principalmente, nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A comunicação com a população e os profissionais de saúde será feita por meio da TV, distribuição de cartazes, folhetos e mídias na internet, principalmente nas redes sociais. Ainda para marcar a data de luta contra a doença, em Brasília, o prédio do Ministério da Saúde receberá projeção de luzes em cores marrom, vermelho e bege, que representam os tons das manchas provocadas pela doença. A partir do mês de agosto, a campanha chega às rádios de todo o país.

Para o Ministro da Saúde, Arthur Chioro, o diagnóstico precoce feito em crianças e adolescentes é fundamental para a quebra da cadeia de transmissão da doença. “As ações que o SUS tem desenvolvido vêm mudando o perfil da hanseníase no nosso país. O aumento no número de casos registrados, na verdade, significa que estamos sendo mais eficazes em fazer o diagnóstico e também no encaminhamento do paciente para tratamento e investigação de possíveis casos no ambiente familiar, o que é fundamental para interromper a transmissão”, explica.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Sardas: como clarear, prevenir e o que realmente são essas manchinhas.

Charme para algumas e incômodo para muitas, as sardas são resultado da exposição exagerada e sem proteção ao sol e deixam a pele ainda mais sensível aos raios ultravioletas.

O que é sarda

Segundo a Dra Alessandra Haddad, cirurgiã plástica com especialização em dermatologia, as sardas, que são chamadas cientificamente de efélides, são pequenas manchas causadas pela ação dos raios ultravioleta, que estimulam as células de pigmentação da pele a produzir mais melanina em determinadas áreas.

“Pessoas com pele e cabelo claros são mais suscetíveis ao aparecimento dessas manchinhas. Há também a predisposição genética para o surgimento delas”, explica a especialista.

A exposição ao sol, principalmente durante o verão, pode aumentar a quantidade e o tamanho das sardas, que costumam aparecer principalmente o rosto, ombros e colo.

Como clarear sardas

Segundo a especialista, é possível clarear as sardas por meio de tratamentos que usam cremes com vitamina C, ácido retinóico e hidroquinona. Tratamentos com laser e métodos de peeling, que promovem a renovação da pele, também são eficazes do clareamento de sardas. Contudo, Alessandra ressalta que se houver exposição ao sol sem o uso de filtro solar, as sardas voltam a aparecer. 

Como evitar

Ainda de acordo com ela, pessoas com predisposição ao surgimento de sardas devem usar filtro solar com alta proteção diariamente. “Se estiver na praia ou na piscina, é preciso usar também óculos escuros e boné ou chapéu e ficar a maior parte do tempo embaixo do guarda-sol”, afirma.


Além disso, Alessandra alerta que peles com sardas devem evitar a exposição ao sol entre as 10 h e 16 h.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Tratamento natural para estrias.




Não é estranho ouvir junto com o papo das celulites, que as estrias também incomodam. As fissuras brancas são um tipo de cicatriz e podem ser formadas desde a puberdade. E tem mais: se tratadas logo no surgimento, os resultados são positivos.

O que são estrias

As estrias são cicatrizes resultantes do estiramento da pele que podem aparecer na fase de crescimento, na gestação ou quando há um abrupto ganho de gordura ou massa muscular. Ou seja, as estrias surgem quando a pele estica rapidamente.

Os lugares mais comuns de se encontrar estrias nas mulheres são nos seios, bumbum e quadril. Mas muitas vezes os braços, o culote e as coxas sofrem com o problema. E engana-se quem acha que as cicatrizes brancas atingem só o sexo feminino. Os homens também passam por este problema na puberdade, quando engordam ou decidem malhar.

Existem dois tipos de estrias:

As vermelhas são as recentes, ou seja, são as fissuras que acabaram de se formar e ainda estão inflamadas. Esta fase dura de quatro a seis meses e o tratamento é fácil com grandes chances de sumiço.

Já as brancas são as cicatrizes já formadas e, embora sejam mais difíceis de serem tratadas, existem tratamentos médicos que prometem resultados positivos.

Tratamento natural para as estrias

Ainda na fase vermelha, a melhor opção de tratamento é manter a região com estrias muito hidratada. Para isso, confira a receita de creme para estrias.

Creme para estrias caseiro

Ingredientes:

1 pote de creme Nívea (lata azul);
1 tubo de hipoglós ou bepantol;
1 ampola de vitamina A;
1 vidro de óleo de amêndoas.

Como fazer:

Misture todos os ingredientes até formar uma mistura homogênea e armazene em um frasco com tampa na geladeira.

Como aplicar:

Passe todos os dias de manhã e antes de dormir. Para uma melhor absorção do remédio natural para estrias, faça esfoliações corporais para retirar a camada de células mortas uma vez por semana.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Água com limão: 6 motivos para consumir todos os dias de manhã.


Começar o dia com um copo de água morna com limão espremido (o suco de meia unidade é suficiente) pode trazer uma enormidade de benefícios para a sua saúde. O ritual é uma prática antiga da Ayurveda. O portal Learnlist enumerou uma série de motivos que te farão consumir essa bebida assim que acordar:

Ajuda na digestão – Além de a água morna favorecer o trato gastrointestinal, o limão ajuda a estimular e purificar o fígado. A bebida também ajuda os ácidos gástricos a cumprirem seu papel de digestão e eliminação.

Fortalece a função imunológica – Frutas cítricas, como o limão, são ricas em vitamina C e ácido ascórbico. A vitamina ajuda a espantar gripes e resfriados, e o ácido facilita a absorção de ferro, que é importantíssimo para o sistema imune.

Alcaliniza o corpo – Se o seu organismo está com o pH desequilibrado, fica mais suscetível a doenças. Apesar de limões parecerem ácidos, eles promovem a alcalinização e garantem que o pH do estômago fique balanceado (especialmente se você segue uma dieta rica em carne vermelha, queijos ou álcool).
Desintoxica – Água com limão é um diurético natural, o que significa que a bebida ajuda o seu organismo a eliminar líquidos e toxinas. O ácido cítrico também ajuda a maximizar enzimas que estimulam o fígado, que, por sua vez, tem a função de eliminar toxinas.

É energizante – A combinação da água com o limão ajuda a hidratar e oxigenar o sangue, aumentando sua disposição e bem-estar. Por isso, a bebida pode substituir o cafezinho matinal sem comprometer a produtividade.

Mantém a pele linda – A desidratação crônica pode deixar a pele opaca e sem elasticidade, e a água com limão, que é profundamente hidratante, ajuda a evitar este problema. Além disso, a vitamina C exerce um papel crucial na manutenção da pele saudável, já que é carregada de antioxidantes, que combatem a destruição de células que causa o envelhecimento.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Saiba como identificar se a pinta que você tem pode ser um câncer de pele.




Há cerca de 182 mil novos casos de câncer de pele no Brasil, por ano; prevenção e identificação precoce é a solução.

Autoexaminar periodicamente as pintas e manchas da pele e consultar um médico em caso de anormalidade é fundamental para evitar o câncer de pele.

Ela aparece, fica ali e pode ter carinha de inofensiva. Mas nem sempre é. Algumas das pintas que pipocam em seu corpo e acabam sendo intensificadas no verão podem ser um câncer de pele.

Pessoas com pele clara, cabelos e olhos também claros, sardas, ruivos e quem tem histórico de câncer na família formam o grupo de maior risco.

Fazer o autoexame, portanto, é fundamental para identificar anormalidades na pele. Lesões na pele, pintas e outros sinais de câncer podem ser avaliados com uma dica simples dos profissionais do Hospital Sírio Libanês: a técnica ABCD+E.

Basta verificar se as pintas apresentam uma ou mais características a seguir:

A – Assimetria: uma metade da pinta não se parece com a outra. A pinta benigna geralmente é simétrica.

B – Borda: irregular, mal definida;

C – Cor: Vários tons de cor em uma mesma pinta. A lesão benigna geralmente tem apenas uma cor;

D – Diâmetro: Pintas benignas geralmente medem menos que seis milímetros;

E – Evolução: Modificação das características da pinta ao longo do tempo.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

“Cada vez mais, vamos tratar o câncer sem precisar de quimioterapia”.

A tão temida e sofrível quimioterapia deve deixar de ser o único destino para quem descobre um câncer. É isso que defende a pesquisadora americana Catherine M. Bollard, especialista em transplante de medula do Sistema Nacional de Saúde Infantil dos EUA.

A especialista é uma grande entusiasta da imunoterapia. A lógica está em fazer com que anticorpos do próprio organismo se defendam e ataquem vírus, tumores e outros microorganismos, no lugar de desenvolver uma droga que mate as doenças. De modo simplista, é mais ou menos a diferença entre dar o peixe e ensinar a pescar.

Catherine acredita que dados os avanços recentes na área e a eficiência das novas terapias, cada vez mais serão menos necessários tratamentos convencionais como a quimioterapia.

Recentemente, Catherine, foi eleita presidente da Sociedade Internacional de Terapia Celular (ISCT) e afirmou em entrevista ao iG que pretende dar suporte para que estas novas formas de tratamento torne-se cada vez mais comuns no Brasil.

iG: Por que é a imunoterapia pode ser melhor que terapias tradicionais em muitos casos?

Catherine M. Bollard: Existem várias formas de imunoterapia, com diferentes processos para se obter isso, mas, basicamente, a imunoterapia consiste em melhorar a resposta imune do paciente para matar o tumor. Ao contrário da radioterapia e da quimioterapia convencional, terapias baseadas no sistema imune oferecem uma abordagem mais orientada para matar as células cancerosas sem intoxicar outros orgãos, com isto células saudáveis que não têm relação nenhuma com a doença não são atingidas. As células cancerosas têm muitas estratégias para ludibriar o sistema imunológico. Imunoterapias servem para superar estas estratégias e matar diretamente o tumor. Há menos efeitos colaterais, uma resposta mais eficaz.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Demanda por mastectomia cresceu 50% no Brasil.

O câncer ainda assusta muito e para diminuir as chances de desenvolver a doença, as pessoas estão dispostas a enfrentarem diversas situações como, por exemplo, a mastectomia, que é uma cirurgia para retirada total ou parcial da mama.

O objetivo da cirurgia é minimizar os riscos de desenvolver um câncer de mama em até 95%. Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo e o mais comum entre mulheres.

Clécio Lucena, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia MG, explica que a discussão sobre esse assunto se aprofundou e a procura pela cirurgia aumentou em 50% no Brasil, após a realização da cirurgia, em maio de 2013, da atriz Angelina Jollie, ao descobrir uma mutação genética que a tornava propensa com 87% de chances a desenvolver um câncer de mama e ovário.

O médico ressalta que a cirurgia não é liberada para qualquer pessoa que queira retirar as mamas por, simplesmente, ter medo de desenvolver a doença. Ele diz que o diagnóstico é minucioso e a autorização para a cirurgia só é liberada nos casos que realmente requerem essa intervenção.

Lucena ainda explica que o exame realizado para a detecção das chances de desenvolvimento dos tumores custa cerca de R$ 7 mil no Brasil e só é indicado para pacientes que tenham um risco elevado de câncer de mama como, por exemplo, mulheres que já tiveram essa doença ou com histórico familiar preocupante.

Mesmo com a realização da cirurgia, as chances de desenvolverem o câncer de mama não são eliminadas totalmente porque fica um pouco de tecido sob a pele que deve ser preservado para garantir a irrigação.

Além disso, os riscos desse procedimento são perda da sensibilidade, necrose da pele e infecção. Por isso, mesmo após a intervenção cirúrgica é preciso acompanhar as alterações e qualquer mudança na coloração da pele e o aparecimento de caroços devem ser relatados ao médico imediatamente.

Aumento da demanda - O crescimento da procura dessa cirurgia deve deixar que os médicos fiquem ainda mais antenados sobre esse assunto para conseguirem avaliar as reais necessidades da cirurgia.

As pacientes devem ter consciência que, mesmo que os riscos genéticos não sejam fortes para indicativo de cirurgia, a prevenção deve continuar sendo feita.

A hereditariedade corresponde em cerca de 5% a 10% e os outros 90% são decorrente de outros fatores e, por isso, a qualidade de vida deve ser preservada, incluindo atividade física, alimentação saudável, evitando o consumo excessivo de álcool e tabagismo.

iG Minas Gerais.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Tire 10 dúvidas sobre a rinite alérgica.


Caracterizada principalmente pela irritação do nariz e dos olhos, a rinite alérgica é a capacidade da pessoa de tornar-se sensível a um determinado fator ambiental, ou seja, quando o corpo da pessoa passa a identificar certos agentes como nocivos ao corpo, mesmo que algum dia eles tenham sido tolerados. "E essa característica é herdada dos pais: a chance de uma criança cujos pais são alérgicos apresentar alguma manifestação é de 50%", afirma o otorrinolaringologista Diderot Parreira, do Hospital Santa Luzia de Brasília. Segundo dados da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ABAI), cerca de 10 a 25% da população sofre de rinite alérgica, que se manifesta, principalmente em épocas mais frias, com o tempo seco.

Toda rinite é alérgica?

Existem diversas formas de manifestação na doença. "A palavra rinite quer dizer apenas inflamação das narinas", explica o alergista José Carlos Perini, vice-presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia. Segundo o especialista, as causas é que definem a rinite como alérgica - no caso, pessoas que possuem um fator desencadeante constante de uma crise possuem a rinite alérgica. "Outras formas são as rinites por infecções virais - como no resfriado e gripe -, por infecção bacteriana ou por ação de uso abusivo de medicações descongestionantes nasais."

Quais são as principais causas da rinite alérgica?

A doença é causada por uma reação exagerada do nosso sistema imune a fatores habituais do ambiente. "Os principais causadores de alergia no Brasil são poeira doméstica, ácaros, fungos e pelos de animais", diz o alergista José. Para ter uma rinite, basta que a pessoa apresente uma tendência genética ou familiar, oportunidade de contato com os alérgenos e que esses alérgenos sejam bons sensibilizantes. 

Antialérgicos são os melhores tratamentos para rinite?

Os anti-histamínicos, popularmente chamados de antialérgicos, são os medicamentos usados para tratar os sintomas das crises de rinite, mas não são eficazes para o tratamento constante. "Porém, o tratamento obrigatoriamente envolve outros procedimentos, como medicamentos preventivos de uso local no nariz ou por via sistêmica, além de controle ambiental rigoroso para diminuir o contato com os inalantes causadores", alerta o alergista José. Lavagem nasal, uso de umidificadores, limpeza constante das roupas de cama banho e dos tapetes e cortinas, além de boa ventilação nos ambientes são outras formas de evitar as crises de rinite.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Mitos da libido feminina dificultam vida sexual mais plena.



Desejo e sexo são temas que sempre interessam, mas muitas vezes causam dúvidas e receios. Ainda mais quando o assunto que vem a baila é a libido feminina, parece que o tema fica ainda mais nebuloso: nem mesmo algumas mulheres sabem sobre seu próprio desejo sexual. "Muitas não conhecem o próprio desejo, não sabem os caminhos para descobri-lo e estimulá-lo e muito menos não conseguem dividir esta dificuldade com o parceiro", considera a psicóloga Juliana Bonetti, especializada em sexologia. O resultado: diversos mitos sobre o assunto e muita dificuldade de algumas mulheres conseguirem encontrar prazer na sua vida sexual! Para ajudar, perguntamos a dois especialistas sobre alguns desses mitos sobre o prazer feminino. Confira a seguir se você sabe mesmo a resposta para todos.

Toda mulher tem problemas de libido?

Para nossos especialistas, poucas pessoas ainda acreditam nessa afirmação, que realmente é um mito. Mas isso não significa que muitas mulheres não sofram com esse problema. "O aspecto social tem influencia muito grande sobre a sexualidade de todos e a mulher muitas vezes ainda tem que fingir que não gosta de sexo", considera o ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Jr., professor e médico do ambulatório de sexologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Além disso, muitas mulheres podem apresentar problemas de libido esporadicamente, por exemplo logo após a gravidez e na menopausa. "Mesmo as mulheres mais bem resolvidas com relação a isto, podem passar por períodos de queda de desejo", pondera a psicóloga Juliana Bonetti, especializada em sexologia. Veja aqui os fatores que podem interferir na libido feminina.

O homem sempre gostará mais de sexo do que a mulher?

Esse é um mito, mas com razão de ocorrer. Biologicamente a substância ligada ao desejo sexual é a testosterona, também conhecida como hormônio masculino, já que o homem a apresenta em quantidade cerca de vinte vezes maior do que a mulher. Tanto que Mendes Jr. pontual que muitas mulheres mais proativas podem ter mais desse hormônio circulando pelo corpo.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Hábitos típicos da depressão podem piorar o quadro da doença.



O Padre Marcelo Rossi recentemente superou um quadro de depressão, o que não é uma tarefa fácil. A depressão está longe de ser um mal menor - pelo contrário, é uma doença séria que exige acompanhamento médico. A importância do tratamento foi reforçada com a divulgação do estudo Health in Brazil (Saúde no Brasil), publicado no periódico científico Lancet, no último dia 9 de maio. Um dos dados mais alarmantes dessa extensa pesquisa é o de que as doenças psiquiátricas, incluindo a depressão, têm diminuído a expectativa de vida do brasileiro mais do que doenças cardiovasculares, que ocupam o segundo lugar no ranking. Aparentemente silenciosa, a depressão é responsável por 19% dos anos a menos - junto a outros distúrbios psíquicos, como psicose e abuso do álcool -, enquanto problemas cardiovasculares foram responsabilizados por 13% desse retrocesso.

De acordo como a pesquisa, 18 a 30% dos brasileiros já apresentaram sintomas de depressão. Além disso, 10,4% dos moradores adultos da região metropolitana de São Paulo sofrem com a doença. Não é fácil lidar com a depressão, ainda mais quando sabemos que, em geral, o comportamento do paciente costuma enterrá-lo ainda mais no quadro. "O 'slogan' dele é 'não vejo saída, não tem solução'", explica a psicóloga e escritora Olga Tessari, de São Paulo. Confira a seguir quais são os hábitos mais nocivos ao tratamento da doença.

Isolamento social

É um dos principais comportamentos nocivos e pode variar de acordo com o nível da depressão. A psicóloga Aridinéa Vacchiano, do Rio de Janeiro, diz que, em casos de depressão leve, ainda há algum envolvimento e até mesmo vontade de superação. Em nível moderado, existe mais dificuldade em suportar a pressão, o que compromete o rendimento de sua produção e a clareza da percepção. Isso facilita o isolamento. Já na depressão severa, o depressivo pode sofrer até mesmo de amnésia e ilusões, chegando ao isolamento total.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Médicos respondem dúvidas de gestantes sobre regras de incentivo ao parto normal.

Com novas regras, apenas a opinião do médico não será suficiente para justificar o procedimento cirúrgico.

O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde (ANS) publicaram, no início de janeiro, uma resolução com novas regras para estimular o parto normal na rede privada, restringindo a cobertura de cesárea pelos planos de saúde. Dados mostram que o índice de cesáreas é de 84,6% nos hospitais particulares brasileiros. O percentual está bem acima dos 15% recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A medida do governo visa reduzir esse índice e conscientizar melhor a população sobre as vantagens e riscos de cada tipo de parto. Porém, muitas dúvidas ainda cercam a cabeça de mulheres que planejavam o procedimento cirúrgico ou estão inseguras quanto ao parto normal. Em entrevista ao Delas, três especialistas esclarecem as principais questões das gestantes. Leia a seguir:

1 - Meu primeiro filho nasceu de cesárea. É perigoso tentar o parto normal na segunda gestação?

A mulher que já fez uma cesárea tem plenas condições de ter um parto normal na segunda gravidez.

“O medo dessas mulheres vem do risco de ruptura do útero, com hemorragia interna. Estudos mostram, porém, que esse risco é muito baixo. Vale lembrar que cada vez que operamos uma mulher, aumentamos outros riscos, igualmente perigosos para a saúde da mãe e do bebê”, explica o ginecologista e obstetra Jorge Guimarães.

Segundo ele, os sinais de perigo podem aparecer quando começa o trabalho de parto da gestante. Se houver alguma anormalidade e o obstetra achar arriscado demais, a cesárea pode ser feita sem nenhum problema. Ela já é uma garantia emergencial para a mãe e o bebê. Por isso, a tentativa do parto natural pode ser levada adiante, com o devido acompanhamento médico.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Pode-se amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo?

Claudia Naomi Abe, 32 anos, química, ao contrário do que me havia sido ensinado, era possível gostar de mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Pensei muito sobre o assunto, mas o relacionamento com ambos não foi para frente. Pouco tempo depois conheci o Cláudio e, após um ou dois anos de namoro, resolvemos abrir o relacionamento. Eu saí com uma pessoa, ele com outra. Mas eu tive surtos de ciúmes. Tivemos vários conflitos, mas com o tempo fomos amadurecendo e aprendendo a lidar com nossos sentimentos.

Com sete anos juntos, já casados, eu me apaixonei por um amigo de amigos. E foi o Claudio que me mostrou isso, quando eu briguei e apaguei essa pessoa do MSN. 'Amor, você só age assim quando gosta da pessoa?', disse ele. Começou meu segundo namoro. Durou sete meses. Foi uma paixão bem intensa. Mas teve uma competição. Eu parecia filha de pais separados. Era sábado com um, sábado com outro. Pensei em morarmos todos juntos, mas o rapaz, bem mais novo, não soube lidar com a situação.

Hoje tenho um bebê de dois anos. Claro que com trabalho, bebê e a correria do dia a dia, eu não tenho muito tempo para outros relacionamentos. Mas isso é quem eu sou. Tenho amigos que também vivem assim, têm filhos, trabalham. É a nossa vida."

"O que é bom [em relacionamentos monogâmicos] é muito bom [em relacionamentos poliamorosos]. Mas o que é ruim, também é péssimo", resume um poliamorista que se relaciona com sua esposa e a namorada do casal. O TAB conversou com diversos adeptos e todos dizem que, ciúmes à parte, o rompimento ocorre por problemas comuns a qualquer relacionamento; distância física, brigas cotidianas e falta de tempo, por exemplo.

Andreza Hack de Abreu, 38 anos, de Porto Alegre, tem um relacionamento aberto há dois anos. Por três meses ela e o marido viveram com uma amiga dela. "Nós vivíamos os três sempre juntos, banho, escovando os dentes, cozinhando. Mas quando ele não estava junto ela não ajudava em atividades da casa, como fazer compras, lavar, cozinhar. Isso foi motivo forte de brigas. Na hora do sexo ela estava disposta, mas pra lavar a louça era eu e ele. Aí não deu certo", conta.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Anvisa aprova uso de canabidiol como medicamento.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (14), por unanimidade, a reclassificação do canabidiol como medicamento de uso controlado e não mais como substância proibida. A decisão foi tomada durante reunião da diretoria colegiada na sede da agência, em Brasília.

A maior parte dos diretores da agência ressaltou que não há relatos de dependência relacionada ao uso de canabidiol e que há diversos indícios registrados na literatura científica de que a substância auxilia no tratamento de enfermidades como a epilepsia grave.

Os diretores também ressaltaram que a reclassificação permite que as famílias ajam na legalidade, além de incentivar pesquisas sobre o tema. A Anvisa iniciou a discussão sobre a possibilidade da reclassificação da substância em maio de 2014. Na época, não houve decisão terminativa sobre a questão. Desde então, a agência vem autorizando a liberação de importação do canabidiol em caráter excepcional.

Até o momento, o governo federal recebeu 374 pedidos de importação para uso pessoal. Desses, 336 foram autorizados, 20 aguardam o cumprimento de exigência pelos interessados e 11 estão em análise pela área técnica. Há ainda sete arquivamentos, sendo três mandados judiciais cumpridos, duas desistências e três mortes de pacientes após a entrada do pedido.

Você mente?



Eu, você e todo mundo mente. E mente muito. O quanto exatamente varia. Uma pesquisa diz que uma pessoa mente em uma a cada quatro interações sociais: outra, que mesmos aqueles que dizem não mentir falam uma inverdade a cada dez minutos: uma terceira afirma que contamos de 10 a 100 mentiras por dia!

"A maior mentira é dizer que não mente", afirma a psicóloga Monica Portella. E por que mentimos tanto? A resposta de especialistas é clara; para conviver melhor com os outros e com nós mesmos.

Mentiras leves são aceitas e até obrigatórias em algumas situações. "Temos os rituais de cumprimento. Somos obrigados a agir com polidez, caso contrário, você pode ser tachado de insensível", explica o psicólogo Ailton Amélio, professor da USP (Universidade de São Paulo).

Amélio diz que há uma pressão interna para sermos cordiais e, por isso, muitas vezes mentimos ao dizer que uma mulher não está feia com a roupa escolhida ou que sentimos muito quando alguém conta uma notícia ruim, mesmo sem qualquer comoção genuína.

Segundo o sociólogo Erving Goffman, nós desviamos da realidade 95% do tempo. Nós interpretamos papéis. Do ponto de vista evolutivo, desenvolver fórmulas para enganar o outro foi uma tática bem sucedida para a sobrevivência da espécie.

Claro, a mentira não é válida para TUDO o que falamos, senão sempre desconfiaríamos do que nos é dito. Por isso, seguimos também o princípio cooperativo que nos orienta a não afirmar nada que seja deliberadamente falso.

Além de querer evitar o conflito, sempre inventamos algo ao perceber que nossa autoestima pode ser prejudicada. Dizer que ganha mais, que conhece o assunto que está em discussão ou que muitas pessoas estão interessadas em você são alguns exemplos. Essas são as mentiras leves ou brancas, que não têm por fim prejudicar alguém. Amélio diz que a maioria das mentiras atenua ou exagera a verdade.